abdominoplastia_classica

A abdominoplastia clássica é o procedimento que remove o excesso de gordura e de pele e, na maioria dos casos, restaura os músculos abdominais enfraquecidos ou separados (diastáse), criando um perfil abdominal mais suave e tonificado.

Ter um abdômen liso e tonificado é algo que muitos de nós se esforça para ter através de exercício físico e controle de peso. No entanto, às vezes, estas medidas não são suficientes para que alcancemos nossos objetivos. Mesmo pessoas com peso corporal e proporção normais podem desenvolver um abdômen protruido e flácido. As causas mais comuns destas situações incluem: gravidez, envelhecimento, oscilações significativas no peso, hereditariedade e cirurgia prévia.

A cirurgia é indicada para os pacientes que apresentam excesso de gordura abdominal associado a diastáse dos músculos  e flacidez de pele localizadas tanto acima quanto abaixo do umbigo.

Embora os resultados de um procedimento de abdominoplastia sejam tecnicamente permanentes, o resultado positivo pode diminuir muito devido a oscilações significativas no peso. Por esta razão, pessoas que estão planejando perder peso substancial ou mulheres que consideram futuras gestações são aconselhadas a postergar a cirurgia de abdominoplastia.

A abdominoplastia clássica requer uma incisão posicionada próxima aos pelos pubianos, reta em sua parte central e levemente encurvada para cima, nas extremidades. Realizamos de rotina uma incisão bem baixa, de modo que a cicatriz resultante possa ser facilmente escondida pelos trajes de banho. A forma e o comprimento da incisão serão determinados pelo grau de correção necessário. Por meio deste acesso, realiza-se um descolamento de todo o abdome. Os músculos abdominais enfraquecidos são reparados e suturados, contribuindo para o acinturamento desejado pelas paciente. A seguir, retira-se um fuso contendo excesso de gordura e de pele localizados abaixo do umbigo. O umbigo é refeito mediante transposição ou da criação de “novo” umbigo e reposicionado na região que mimetiza sua localização anatômica habitual. A incisão é fechada em vários planos. Um dreno pode ser temporariamente colocado sob a pele para drenar qualquer excesso de sangue e de fluido que possam acumular.

Após a cirurgia, uma bandagem elástica compressiva é utilizada para minimizar o inchaço e sustentar os novos contornos do abdômen à medida que cicatrizam.

Alguns cuidados pós-operatórios são difíceis de serem executados, mas importantes para uma evolução satisfatória. Entre eles destacamos a posição para andar nos primeiros dias após a cirurgia, com o tronco levemente fletido, a posição para se deitar, com a barriga para cima, a cabeceira da cama elevada e as pernas fletidas, repouso, suspensão de exercícios físicos, necessidade de usar cinta moderadora e de realizar drenagem linfática, entre outros.

A abdominoplastia clássica apresenta índices de complicações relativamente baixos. Quando estas aparecem, podemos destacar as cicatrizes desfavoráveis; o sangramento; hematoma; infecção; acúmulo de líquido (seroma); má cicatrização; necrose da pele; alterações de sensibilidade; inchaço prolongado; assimetrias; deiscência (reabertura de uma ferida previamente fechada); dor; trombose venosa profunda e a possibilidade de novo procedimento cirúrgico (retoque).

O procedimento de abdominoplastia clássica irá resultar em um contorno abdominal mais suave e tonificado, ficando mais proporcional com o seu tipo de corpo e peso.

Os resultados finais podem ser inicialmente obscurecidos pelo inchaço e por sua incapacidade de ficar totalmente na vertical até que a cicatrização interna seja finalizada. Dentro de algumas semanas, você poderá ficar totalmente em pé e estará mais confiante com o seu novo perfil.

 

FONTE PRINCIPAL: http://www2.cirurgiaplastica.org.br/cirurgias-e-procedimentos/contorno-corporal/abdominoplastia/