lipoaspiracao

A lipoaspiração remodela áreas específicas do corpo, removendo o excesso de depósitos de gordura, melhorando o contorno e a proporção corporal. Ela pode ser usada para tratar acúmulos de gordura em várias partes do corpo, incluindo coxas, braços, pescoço, cintura, costas, abdome, parte interna do joelho, peito e pernas. Em alguns casos, a lipoaspiração é realizada isoladamente, em outros, ela é usada em associação a outras técnicas, como por exemplo o facelift ou a abdominoplastia.

Apesar de boa saúde e da prática regular de exercícios físicos, algumas pessoas podem, ainda, ter um corpo com contornos desproporcionais devido a depósitos de gordura localizada. A lipoaspiração é muito bem indicada nestes casos. Ela não deve ser realizada como medida para o tratamento da obesidade.

Podemos remover até 7% do peso corporal de gordura e lipoaspirar até 40% da superfície corporal, segundo as normas do Conselho Federal de Medicina.

A lipoaspiração é realizada através de pequenas incisões, imperceptíveis. Primeiramente, solução líquida estéril é infundida para reduzir o sangramento e o trauma. Em seguida, uma cânula é inserida através destas incisões para soltar o excesso de gordura, utilizando um controlado movimento de vaivém. A gordura deslocada é, então, aspirada para fora do corpo, utilizando um aspirador cirúrgico ou seringa ligada à cânula.

Procedimentos adicionais, às vezes, podem ser necessários para reduzir o excesso de pele ou para realizar a correção de pequenas assimetrias residuais.

Malha de compressão ou bandagens elásticas são colocadas nas áreas tratadas na finalização do procedimento, pois ajudam a controlar o inchaço e a comprimir e reposicionar os tecidos descolados para o lugar onde devem permanecer.

A drenagem linfática pós-operatória é essencial, pois auxilia na redução do inchaço, evita o acúmulo de líquidos, ativa a circulação, alivia a dor, minimiza ondulações e irregularidades.

Assim como qualquer procedimento cirúrgico, a lipoaspiração também está sujeita a eventuais complicações, mesmo sendo infrequentes. Quando aparecem podemos destacar: sangramento; hematoma; acúmulo de líquido (seroma); má cicatrização; necrose de pele; alterações de sensibilidade da pele; despigmentação da pele; inchaço prolongado; irregularidades; hipercorreção ou hipocorreção da área; danos em estruturas mais profundas tais como nervos, vasos sanguíneos, músculos e vísceras; dor, que pode perdurar; trombose venosa profunda e a possibilidade de novo procedimento cirúrgico (retoque).

O inchaço causado pela cirurgia melhora após alguns meses. Quando o inchaço desaparecer, o novo contorno corporal será visível. Seguir algumas recomendações fará com que você mantenha os resultados obtidos inicialmente com a lipoaspiração, ou seja, é preciso manter o peso adequado e adotar um estilo de vida saudável. O ganho de peso pode reverter os resultados.

 

FONTE PRINCIPAL: http://www2.cirurgiaplastica.org.br/cirurgias-e-procedimentos/lipoaspiracao/