mentoplastia

As principais alterações do mento que geram desarmonia no perfil facial são representadas pelo prognatismo, retrognatismo e assimetrias. Essas desproporções ósseas do mento podem estar associadas também a alterações funcionais, como a má oclusão dentária, gerando sérios problemas.

A mentoplastia visa corrigir essas diferentes anormalidades utilizando técnicas de osteotomias (secção osséa) associadas a fixação com placas e parafusos de titânio ou com a utilização de próteses, sendo as mais utilizadas as de silicone e a de Polietileno biocompatível poroso de alta densidade.

Os implantes podem ser colocados por via intraoral ou extraoral, através de uma incisão submentoniana. A primeira via de acesso teria como vantagem a ausência de cicatriz visível, já a segunda tem-se um maior controle de posicionamento da prótese e não entra em contato com a saliva, potencial fonte de contaminação.

As principais críticas em relação ao uso das próteses de silicone refere-se à possibilidade de absorção óssea subjacente ao produto.

O Polietileno poroso de alta densidade confere maior fixação da prótese com menor índice de absorção óssea, podendo ser utilizado, além do mento, em diversas outras regiões para o contorno facial, tais como em região do ângulo da mandíbula, região malar, rebordo orbitário, nariz, entre outros.

Os riscos do procedimento são relativamente baixos, destacando-se o sangramento, hematoma, infecção, má cicatrização, alterações de sensibilidade (sendo a maioria temporárias), assimetrias, hiper ou hipocorreção do defeito, reabsorção óssea, extrusão (saída forçada / expulsão) da prótese, deiscência (reabertura de uma ferida previamente fechada), dor e possibilidade de novo procedimento cirúrgico (retoque).

A mentoplastia irá resultar em um contorno facial mais suave e proporcional, ficando o rosto nitidamente mais harmônico.

 

FONTE PRINCIPAL: http://www2.cirurgiaplastica.org.br/cirurgias-e-procedimentos/face/mentoplastia/