otoplastia

A orelha em abano caracteriza-se por uma abertura exagerada da mesma em relação ao crânio. É a deformidade mais comum da orelha, presente em aproximadamente 5% da população. É bilateral na maioria das vezes. É comum a ocorrência familiar obedecendo a um caráter genético, onde vários membros da família são acometidos. Esta deformidade está frequentemente associada a problemas psicológicos nas crianças e adolescentes que com muita freqüência sofrem bullying (brincadeiras, apelidos) na escola e no convívio social. 

A melhor época para realizar o tratamento cirúrgico da orelha em abano é a partir dos 7 anos de idade, onde mais de 95% do tamanho da orelha já foi atingido.

A Otoplastia pode melhorar a forma, a posição e as proporções das orelhas. Ela cria uma forma mais natural, dando equilíbrio às orelhas em relação à face. A correção deste tipo de deformidades pode beneficiar a aparência e a autoestima do paciente.

A cirurgia pode ser realizada com anestesia local + sedação. As incisões para otoplastia são geralmente feitas atrás da orelha. Através deste corte, o cirurgião terá acesso a todo o pavilhão auricular e poderá reduzir, moldar ou realizar dobras nas cartilagens de modo a adequá-la melhor ao padrão estético. Internamente, suturas não removível são usadas para criar e fixar a cartilagem recém moldada. A aproximação do pavilhão auricular ao crânio deve ser natural, sem exageros.

Após a cirurgia, bandagens ou curativos serão aplicados sobre o local cirúrgico para mantê-lo limpo, protegê-lo de trauma e para sustentar a nova posição da orelha durante a cicatrização inicial.

A otoplastia oferece resultados muito satisfatórios e quase imediatos, tão logo os curativos que sustentam o novo formato da orelha sejam removidos. Com a orelha permanentemente posicionada próxima à cabeça, as cicatrizes cirúrgicas são escondidas atrás da orelha ou em suas dobras naturais.

  

FONTE PRINCIPAL: http://www2.cirurgiaplastica.org.br/cirurgias-e-procedimentos/face/otoplastia/